A Tecnologia da Informação trouxe eficiência e simplicidade para muitas atividades corporativas. Ao mesmo tempo, boa parte dos processos passaram a ser automatizados. Com isto, cresceu o volume de dados armazenados nas empresas e também a necessidade das cópias de segurança. Neste quesito, muita gente se pergunta quais são os procedimentos necessários para um plano de backup eficiente.

É preciso garantir, afinal, a disponibilidade contínua da informação e a capacidade de restaurar os dados em caso de contratempos. Assim, podemos evitar que ocorra perda por falha humana, lógica ou de segurança. Até mesmo contra incêndios, alagamentos e furtos, a empresa poderá se proteger com este planejamento.

Inclusive, a eficiência do plano de backup permite antecipar eventuais problemas nos equipamentos. Não sabe por onde começar? As medidas que descreveremos ao longo deste artigo vão te ajudar a conquistar este grau de segurança da informação! São dicas aplicáveis tanto em negócios com pequeno volume de dados, até aqueles serviços onde o fluxo é elevado.

Para isso, você deve mapear os procedimentos de armazenagem e elaborar o plano em razão do nível de segurança desejado. Lembre-se também que, para uma boa governança de TI, você precisa estar sempre atento aos backups. Pensando nisso, é que nós elaboramos o guia completo dos procedimentos essenciais para o sucesso do seu plano. Gostou da ideia? Então, é só conferir as dicas seguintes!

Conheça 8 procedimentos necessários para um plano de backup eficiente

1. Catalogação dos servidores de bancos de dados e aplicações utilizadas

A primeira etapa de um plano de backup de sucesso, depende do levantamento sobre o ambiente da empresa. Ou seja, aqui você mapeia os seus servidores e respectivas aplicações. Para estabelecer, de modo seguro, a disponibilidade de dados para a sua empresa, os dispositivos também devem ser catalogados.

Sendo assim, computadores, tablets e celulares devem ser levados em consideração no seu planejamento. Nos empreendimentos que possuem serviços específicos, como os Call Centers e empresas de logística, este levantamento permite criar soluções personalizadas. O que importa é identificar os pontos de backup.

2. Definir escopo e requisitos do ambiente

Os procedimentos necessários para um plano de backup eficiente devem considerar o escopo do ambiente. É a partir disso, que podemos definir o tempo de indisponibilidade e confirmar os tipos de backups que faremos em cada ambiente. Quanto aos requisitos que precisamos observar, eles podem ser operacionais, de negócios ou técnicos.

No primeiro, temos a definição de quanto tempo os dados estarão disponíveis para uso. O seu negócio precisa de funcionamento ininterrupto? Então, os backups têm que ser planejados de modo a não interferir nas atividades dos usuários. No segundo, é requisito medir os impactos causados pelos momentos inatividade. Os requisitos técnicos, por fim, são os parâmetros que sevem para embasar a estratégia de backup.

Atenção com a Janela de Backup e com a necessidade de versionamento

3. Estabelecer a Janela de backup

No tópico anterior, dissemos que os procedimentos necessários para um plano de backup eficiente não podem atrapalhar os usuários. O período em que produzimos as cópias de segurança é chamado Janela de Backup. Se mal planejada, ela pode influir negativamente na produtividade da empresa.

Geralmente, a janela compreende horários em que o negócio não está em funcionamento. Acontece que, às vezes, os dados precisam estar disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana. Apesar de ser desafiador, não é uma situação para se desesperar, basta identificar períodos com menor carga de trabalho!

4. Levantar a necessidade de versionamento

O sucesso do seu plano também vai depender de uma noção clara de versionamento. Em outras palavras, de quantas versões diferentes de um mesmo arquivo precisam ser salvas. Lembre-se que quanto mais versões, maior será o espaço necessário para armazenar os dados.

Tempo de retenção dos arquivos vs. política de archiving e descarte

5. Definir o tempo de retenção dos arquivos

Outro dos procedimentos necessários para um plano de backup eficiente, é a definição do tempo de retenção dos arquivos. Em muitos casos existe a obrigação legal de manter as informações guardadas por anos, sobretudo, quando se trata de registros fiscais e impostos.

Dependendo da área de atuação da empresa, também existe necessidade de reter certos arquivos por questões operacionais ou de governança. Quando lidamos com esse tipo de dados, é recomendável enviá-los para armazenamentos que não afetem o desempenho do sistema principal.

6. Elaborar uma política de archiving ou descarte

Enquanto trata da medida anterior, você vai notar que muitos arquivos já não são utilizados pela sua empresa. Só que nem todos eles se enquadram nas categorias que precisam ser armazenadas por lei ou necessidade. Neste caso, é preciso decidir quais serão descartados ou arquivados. O mais importante é evitar informações duplicadas, incompletas ou desatualizadas.

Além disso, a empresa pode acabar dedicando mais recursos do que seria necessário para os dados, se não fizer o descarte. E tem mais, isso desorganiza o backup e dificulta encontrar as informações relevantes no futuro. A regra é sempre definir o que será armazenado, por quanto tempo e que tipo de arquivo poderá ser descartado.

Procedimentos necessários para um plano de backup eficiente: cópias online, offline ou backups mistos

7. Escolher os procedimentos de Backup

Todas as etapas que descrevemos até aqui, servem para elaborar o plano de backup. Só que isso não quer dizer que você estará pronto para implantar as medidas citadas, ainda é necessário escolher os procedimentos de backup. Você vai utilizar disco, fita, nuvem ou uma mistura de recursos?

Devemos avaliar os procedimentos necessários para um plano de backup eficiente também com relação aos seus tipos. No backup consistente, por exemplo, os dados são copiados com os arquivos de controles sincronizados e offline. Este é um caso em que o ambiente ficará indisponível durante o processo.

Em compensação, o procedimento garante menor número de falhas na restauração. Já a alternativa do tipo inconsistente, trabalha online, armazenando em nuvem. A vantagem é que as aplicações vão continuar no ar, podendo ser utilizadas durante o backup. Em cada situação e negócio, um dos tipos será melhor e você pode experimentar ainda uma mescla dos dois.

Testar a restauração antes de encarar um problema real

8. Testar a restauração do Backup

Por fim, é indispensável testar o seu plano antes de colocar em prática. Afinal, sabemos que se algo sair errado, o desastre pode causar muitos prejuízos! Não menos importante, é lembrar que a restauração é sempre um momento de tensão para a equipe.

Se tudo for testado com antecedência, diminui o trauma, assim como, o risco de medidas que não funcionem quando preciso. Esses são os procedimentos necessários para um plano de backup eficiente. Aplicando cada um na sua empresa, eles vão atuar de modo complementar atendendo as demandas específicas do seu ambiente.