A utilização de softwares piratas não configura apenas crime perante a legislação vigente (art. 9 da Lei 9.609/98), mas também pode trazer vários riscos para a sua máquina e até mesmo para o adequado funcionamento de sua empresa. É aquele velho ditado: o barato pode sair caro.

Por isso, toda atenção é pouca nesse sentido.

Sabendo que nem todas as pessoas têm ciência disso, montamos este conteúdo com os principais problemas que você pode enfrentar.

Confira!

Problemas jurídicos

O primeiro risco a que uma empresa se submete quando aceita utilizar softwares piratas é o descumprimento da lei.

Toda empresa, conforme a legislação vigente, deve usar produtos originais, buscando com isso respeitar e preservar a propriedade intelectual a quem de fato tem direito.

Quando a empresa aceita a instalação de softwares piratas, ela automaticamente consente e se expõe, podendo com isso ter problemas jurídicos.

O ideal, quando a marca não dispor de orçamento, é utilizar produtos gratuitos ou com código aberto (open source).

Malwares

Para burlar o sistema de licenciamento dos softwares originais, os softwares piratas se valem de programas chamados de crackers. Estes criam senhas com o objetivo de desestabilizar as rotinas de verificação do produto original.

No entanto, não se tem garantia de que o programa de cracker utilizado não danifique o sistema da máquina, espalhando malwares.

Muitas pessoas mal intencionadas criam esses programas com o objetivo de ter acesso às informações que estão no computador.

Por isso, vale a pena contar com o produto original, de fábrica, que possui garantias protetoras para o seu sistema. Fazendo isso, você evita não só esse desconforto, mas também futuros prejuízos.

Phishing

Outro risco a que uma empresa ou pessoa física se submete utilizando softwares piratas é a exposição a páginas de phishing.

O phishing é uma das principais técnicas utilizadas por pessoas mal intencionadas para capturar informações pessoais do usuário ou da empresa, como login e senhas de e-mails, bancos etc.

As páginas de phishing simulam conteúdos reais, fazendo com que o usuário acredite que de fato são páginas originais, o que o leva a preencher formulários com os seus dados ou dados da empresa. Todo cuidado é pouco.

Instabilidade e lentidão

Os softwares piratas também deixam o sistema mais lento e instável. Isso faz com que os usuários tenham que, na maioria das vezes, formatar a máquina e instalar produtos originais (o que pode sair bem mais caro).

Isso porque os softwares piratas são, como o nome já sugere, falsificados, ou seja, não guardam compromisso com o desempenho do produto.

Pior ainda é que o usuário não pode sequer tentar entrar em contato com o fornecedor, porque o software não é original, o que o deixa na mão.

Como vimos, os softwares piratas podem não só deixar o sistema do usuário lento e instável, mas também provocar uma desordem, espalhando malwares e criando phishings.

Para piorar ainda mais, a empresa ou a pessoa física poderá responder judicialmente pelo uso do produto falsificado. O ideal para evitar tudo isso é sempre contar com softwares originais.

Confira outras dicas de TI.

Veja também: Fim das atualizações do Windows Server 2008 e SQL Server 2008