Considerando-se que os dados informacionais de uma empresa são elementos valiosos para a plena operacionalidade dela, a proteção destes ativos é algo que deve ser tratado como prioridade.

O setor da Tecnologia de Informação (TI) desempenha um papel estratégico dentro do contexto atual dos ambientes corporativos. Dessa forma, é fundamental investir no constante aprimoramento dos profissionais desta área, bem como reforçar os dispositivos de segurança de dados.

Uma das maneiras mais eficientes de promover o reforço na proteção destas informações é por meio da auditoria de segurança de TI.

Tipos de auditoria
A auditoria pode ser praticada de duas formas: internamente ou externamente. A escolha de qual ser seguida vai depender do porte e do alcance da organização.

Na auditoria interna, conduzida por um departamento interno, são verificados e avaliados os sistemas e métodos internos da empresa. O intuito é preservar que as normas e políticas estejam sendo devidamente cumpridas.

Na auditoria externa, uma companhia externa, sem qualquer vínculo com a que está sendo avaliada, vai apresentar os resultados de análise sobre a gestão financeira e legalidade das operações da empresa apreciada.

Qual a utilidade de uma auditoria de segurança de TI?
Com ela, é possível verificar o cumprimento correto dos padrões de segurança dos dados de uma organização. Avaliando se os sistemas de informação estão seguros, ela permite que a empresa se planeje e adote medidas pontuais na correção de possíveis imperfeições detectadas.

A segurança da informação previne ameaças ao sistema de TI, que se não forem identificadas a tempo, podem comprometer todo o funcionamento operativo da empresa.

A avaliação da segurança de dados de uma organização tem o objetivo de garantir que o sistema esteja de acordo com o conjunto de protocolos preventivos estabelecidos.

Essas avaliações, por meio de auditorias, exigem uma periodicidade habitual. É importante que os sistemas de informação da empresa sejam avaliados de quando em quando. Isso se deve ao fato de que as ameaças, como malwares ou brechas em atualizações, também passam por adaptações e transformações.

O que é verificado em uma auditoria?
São checados os métodos de segurança de dados aplicados, assim como são buscadas possíveis fragilidades do sistema.

Ocorrem ainda análises configurativas de sistemas operacionais, de informações de acesso e de rede, de gerenciamento de backups, entre outros aspectos.

Os auditores podem levar um questionário para checar ponto por ponto quais itens de segurança estão protegidos e quais estão vulneráveis no sistema de TI.

As perguntas podem contemplar variáveis como a proteção de senhas, a revisão de registros de auditoria, a atualização de sistemas, o armazenamento de mídias ou a criptografia de bancos de dados.

Ao longo do processo de auditoria, existe a possibilidade de que novos questionamentos, envolvendo outras questões, sejam levantados e de que outros dispositivos sejam avaliados, dependendo das particularidades de cada empresa.

Otimização de processos
Uma auditoria que identifique as fragilidades pontuais do sistema de TI em relação à proteção de dados e que sinalize para as melhorias corretivas deste sistema, vai otimizar os processos operacionais da empresa.

Com os dados mais bem protegidos, o gerenciamento deles vai ser flexibilizado, propiciando uma redução de custos de operação. Consequentemente, isso pode ter efeitos na maximização da capacidade de investimentos e de competitividade da empresa no mercado.

Valor estratégico
Com a possibilidade de traçar de maneira mais segura, e a longo prazo, projetos estratégicos de interesse, a partir de dados confiáveis e auditados, a organização vai alinhar os seus processos internos.

A auditoria traz reconhecimento de mercado e reforça a estratégia corporativa ao permitir a melhor integração com outras áreas do negócio.