A Tecnologia da Informação (TI), que antes era vista apenas como um apoio técnico e operacional para as tecnologias da empresa, agora passa a ter uma importância muito maior no ambiente corporativo.

Com o avanço do uso da tecnologia nas empresas para praticamente todas as atividades, o mercado como um todo se tornou cada vez mais competitivo e investir em TI é ainda mais necessário para suprir tais evoluções. Assim, esse setor passou a influenciar não somente no suporte técnico, mas também nas tomadas de decisões do negócio.

Por meio da TI, é possível pensar em estratégias mais assertivas para o cliente, propor soluções inovadoras, reduzir custos operacionais, otimizar a vida dos colaboradores, economizar tempo e dinheiro, otimizar processos gerais e, consequentemente, aumentar os lucros da empresa.

Além disso, o papel do TI de trazer segurança para os dados das empresas se intensificou com o avanço das tecnologias e do compartilhamento de dados em diferentes dispositivos. Ou seja, o TI é um setor essencial para qualquer empresa e precisa estar em consonância as estratégias de negócio da corporação!

É preciso que o TI esteja em perfeito relacionamento com os empresários e gestores de cada área, para que soluções sejam empregadas de acordo com o planejamento estratégico de cada área. Tanto um lado como o outro precisam conversar entre si para deixar claro o papel e o que cada um deve fazer.

Para isso, a começar, as estratégias do negócio devem estar muito bem definidas, pois são elas que irão guiar como o setor de TI irá atuar e o que precisa ser feito para que tudo saia em consonância.

Porque alinhar as estratégias de negócio com as de TI?

Por otimizar as tarefas da empresa em praticamente todos os setores, alinhar as estratégias de negócio com o setor de TI irá garantir a otimização dos processos, seja para algum planejamento inovador ou simplesmente para manter tudo funcionando perfeitamente. Ao otimizar tarefas, o TI proporciona maior rapidez, agrupando informações essenciais sobre os negócios para tornar a tomada de decisões ainda mais assertiva, e proporcionando maior agilidade e facilidade para os colaboradores.

Ao realizar o alinhamento das estratégias junto com o TI, a empresa consegue criar objetivos realmente úteis para a empresa, que irão solucionar problemas e trazer benefícios reais para as atividades. Dessa forma, também é possível analisar quantas e quais tecnologias a empresa precisa atualmente.

Além disso, o TI tem o potencial de demonstrar para a estratégia de negócios todas as oportunidades inovadoras que podem ser implantadas nos setores, a fim de dinamizar as atividades e proporcionar melhor relacionamento com o cliente.

Ao se comunicar com gestores e colaboradores, pode propor diferentes soluções tecnológicas de acordo com a demanda recorrente dos mesmos, evitando assim investimentos não assertivos e desnecessários. Assim, para o líder de TI, é particularmente relevante tal união devido à sua prevalência e atuação em todas as áreas de negócio da empresa, o que acaba aprimorando as próprias estratégias e ferramentas do setor.

Apesar de ser uma tarefa importante e necessária, muitos empresários e gestores deixam esse setor de lado e o subutilizam. Para que você aproveite o melhor do TI em seu negócio, separamos algumas dicas de como alinhar os dois conceitos na empresa. Confira:

Como colocar em prática?

Para iniciar esse alinhamento, é preciso que a empresa tenha bem definidas as suas metas e objetivos, bem como os profissionais e setores envolvidos no processo. Só assim, ambos os lados falarão a mesma língua e trabalharão para achar soluções comuns.

A empresa deve pensar para que tais objetivos e metas estejam de acordo com as ações do TI, para que trabalhem juntos. Ao desenvolver um conjunto de boas práticas de governança de TI, a administração e o monitoramento dos processos podem ser colocados em prática e comparados com as estratégias de negócio.

Assim, podemos dividir em três as opções de alinhamento junto a esse setor:

• Alinhamento entre o Planejamento Estratégico do Negócio (P.E.N.) e Planejamento Estratégico da TI (P.E.T.I.), com o intuito de identificar em quais itens os planejamentos podem se confluir e se beneficiar.
• A criação de um P.E.T.I. feito a partir da missão e dos objetivos da organização, que é definido pelo P.E.N, a fim de que o planejamento de TI siga os processos que já são adotados pela empresa a fim de otimizá-los e aprimorá-los.
• A elaboração do P.E.N. após o estudo aprofundado junto ao TI e reconhecimento das potencialidades da tecnologia, a fim de promover a inovação e contar com fontes seguras de informação apontadas pelos bancos de dados e sistemas.

Para colocar em prática alguma dessas opções de alinhamento, é preciso seguir algumas etapas iniciais, como:

• Estabelecer condições para atingir o alinhamento (reuniões, alinhamentos e análises dos setores);
• Utilizar tecnologias facilitadoras;
• Determinar o valor da TI para empresa (tanto financeiramente como na rotina da empresa);
• Desenvolver a Visão e Missão da TI (que deve se aproximar e conversar com a Visão e Missão da empresa em si).

Vale ressaltar que tal integração deve ser consentida e de interesse real de ambas as partes. De nada adianta um esforço dos gestores em aprimorar suas atividades com a expertise do TI, se esse setor continua se limitando ao apoio operacional tradicional e vice-versa.

Essa união fará bem para toda a empresa, portanto, o interesse deve ser geral. Quanto mais alinhadas as áreas da empresa tiverem, tanto na questão de conceito como nas práticas inovadoras de tecnologia, mais proveito poderão tirar da tecnologia.

Apesar de a expressão “a união faz a força” ser bastante verídica, nesse caso não significa que alinhar o TI ao negócio torne-se uma tarefa fácil em algum momento. Esse é um assunto complexo, pois lida com diferentes pessoas, variáveis, situações e empecilhos.

Na prática, envolve o comportamento da empresa, cultura, posições de poder, comunicação, objetivos a longo prazo, prioridades, respostas de mercado e de orçamento (Financeiro). Cabe ao gestor de TI, junto aos demais, analisar tais variáveis a fim de identificar as que se encontram desalinhadas e propor soluções eficazes.